Crônica – O MEU PARTIDÃO

1 de junho de 2016 • 1h06Geral • 308 Visualizações • Nenhum comentário em Crônica – O MEU PARTIDÃO


Em certas horas é cada um por si e Deus por todos. Há que se dar conta, “num repente”, do problema, do tamanho e do perigo dele, bem como da tua defesa, da boa logística e da eficiência. Não tem jeito!

Há horas que você tem que deixar o compadre para trás e ir com a espada em riste contra o coração do dragão. Fraternidade? Tens que obedecer à lei Universal da Sobrevivência, meu irmão, sem ela não nos perpetuamos no Universo, porque o mal nos destruirá! Coisa profética…

Aonde você quer chegar? Já sabes quem tu és? Qual o teu papel nesta Matrix?
Coisas vãs, coisas fúteis? Te acordas vivente! Vais te dar com a cara no muro!

Então é assim, reclamam que todos trazem só problemas, ninguém a solução, e eu vou te dizer que, em certa feita, o instrutor me disse que tem de fugir dos problemas, como se foge do diabo. E eu entendi o recado. Estou te enchendo a paciência com a minha opinião? Apresenta a contradita e depois te falo! Te posicionas!

É que a ideia deve ser apresentada por questão de fraternidade e eu estou tentando fazer uso de uns dez por cento de minha cabeça animal, para dizer que precisamos de outros focos; temos de resolver os problemas que estão aí, não fugir deles, porque é um caso de vida ou de morte. Aqui a tua regra abre uma exceção, meu amigo! É aquilo que eu te dizia, está na hora de se dar conta de que o mal está vencendo e não podemos fugir.
Não adianta reclamar. O capeta faz parte da existência justamente para que nos aprimoremos através do mal como parâmetro para o bem. Não tenho medo de ser espetado pelo chifrudo rabugento. Quando ele vem, dou-lhe de relho sem pestanejar. E é no ato, porque essa é a hora do salve-se quem puder, de se entrincheirar e de até deixar o compadre para trás. É o instinto. Se você deixar o mal à vontade, ele lhe dá um teatro de horrores em que você é a vítima, e isso pela eternidade. E dizem que o tal Éden tem lenha à vontade para o fogo eterno…

Quando é que esse mal infame irá nos deixar em paz, ô da Luz? Está muito longe a água da fonte? Meu exílio já passou dos quarenta e agora mereço um pouco de paz! Mas não é bem assim, não é? O mal vai estar sempre ao meu lado, hei de estar atento.

Mas a lapidação começa nos nossos filhos. Moldamos neles uma nova humanidade, com mais visão e mais consciência. Lembra do diabinho vermelho e do anjo à volta do Donald Trump em momentos de indecisão, naquele desenho? Nunca escute o chifrudo, cidadão, porque é caixão na certa e você vai sapecar a sambiquira pra sempre, se entrar na conversa dele.

Vejam o problemão que o Brasil está enfrentando, ou seja, o que nós estamos enfrentando, em equipe enfraquecida, com número inferior e com maioria embevecida por utopias! Está mais do que na hora de virarmos o foco para a realidade social em que vivemos. Aonde o mal está mais exposto? Na corrupção? Então precisamos mudar a mentalidade dos nossos legisladores para que passem a vê-la como uma doença que deve ser imediatamente extirpada, do contrário, haverá choro e ranger de dentes.

Penas maiores, mais firmes, mais rígidas para os crimes de corrupção e menos mordomias para os políticos. Esse é o caminho! Lembrei de um guri que em audiência, mandou o Juiz catar coquinho na descida e saiu rindo da cara dele, certo de que não haveria castigo…

Precisamos de maioria numérica no Congresso, de políticos educados e ordeiros, com senso de bem comum, de igualdade e fraternidade. O partidão seria o “Partido da Meritocracia – PDM”, não confunda com “partido do democrático movimento”. Já pensou nós no poder? Será livre quem obedece às leis; terá conforto quem se esforçar; ensinamentos à vontade para quem quiser aprender a pensar maior; preguiça de lado e foco na mente, eis alguns de seus propósitos.

Nossos políticos teriam de passar por um curso preparatório de português, legislação, moral e cívica, e administração pública, dentre outras matérias. Seriam sabatinados publicamente como qualquer outro candidato a cargo público, por bons professores e profissionais das mais diversas áreas. A final, um bom exame psicotécnico, porque tem uns loucos infernizando a vida por aí…

Mas isso só através do voto, não é verdade? Sim e evidente que sim, mas do voto consciente. Cada voto com seu mérito…

Pensa como seria se o Temer e seus próximos fossem do meu PDM… É, mas a maioria dos votos vem com os conchavos políticos… E se todos “conchavassem” para acabar com essa porcaria toda? A Lei de Evolução assim nos cobra…!

Ainda bem que o estado islâmico não chegou ao Planalto Central. Até acho que não daria certo para eles. A criminalidade por aqui não é de se ajoelhar muito, nem sobre tapete persa.
O diabo está a solta meus amigos e cada um com os seus. Os meus estão quietinhos, por enquanto, não posso vacilar.
Mudanças já!



Fonte: http://clauderio.blogspot.com/2016/05/o-meu-partidao.html

Conteúdo Relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »