Promotoria de São Paulo pede prisão preventiva de Lula

11 de março de 2016 • 2h03Geral • 236 Visualizações • Nenhum comentário em Promotoria de São Paulo pede prisão preventiva de Lula


Pedido ocorre por caso do tríplex no Guarujá

MP paulista pediu prisão de Lula 

Foto: Evaristo Sa / AFP /CP

É a primeira vez que o Ministério Público
pede a prisão do ex-presidente, acusado de lavagem de dinheiro e
falsidade ideológica ao supostamente ocultar a propriedade do tríplex–
oficialmente registrado em nome da OAS.

Na denúncia de 102 páginas
assinada por Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de
Araújo a Promotoria detalha as suspeitas levantadas ao longo das
investigações que ouviram mais de 20 testemunhas, incluindo engenheiros
responsáveis por reformas no imóvel e até zeladores do edifício Solaris. 

Lula e família são denunciados por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro

Os
promotores Cássio Conserino e José Carlos Blat detalharam em entrevista
coletiva nesta quinta-feira as denúncias contra Lula pelo caso do
tríplex. O ex-presidente e mais 15 pessoas, entre elas a mulher, Marisa
Letícia, e o filho mais velho do casal, Fábio Luiz Lula da Silva, o
Lulinha, foram enquadrados por falsidade ideológica e lavagem de
dinheiro.

Na coletiva, o promotor Cassio Conserino disse
que o MP não trabalha preocupado com a repercussão política dos fatos.
“O Ministério Público não trabalha com calendário político ou qualquer
outro tipo de calendário. O nosso calendário é judicial. O Ministério
Público está pautado em prazos legais e judiciais, pouco importando se
este ou outro procedimento tenha qualquer tipo de repercussão política
ou social”, afirmou.

Em 2006, quando se reelegeu
presidente, Lula declarou à Justiça eleitoral possuir uma participação
em cooperativa habitacional no valor de R$ 47 mil. A cooperativa é a
Bancoop que, com graves problemas de caixa, repassou o empreendimento
para a OAS. A Polícia Federal e a Procuradoria da República suspeitam
que a empreiteira pagou propinas a agentes públicos em troca de
contratos fraudados na Petrobras.

A reforma, contratada
pela empreiteira OAS, alvo da Operação Lava Jato, custou R$ 777 mil,
segundo o engenheiro Armando Dagre, sócio-administrador da Talento
Construtora. Os trabalhos foram realizados entre abril e setembro de
2014.

C do Povo



Fonte:
http://clauderio.blogspot.com/2016/03/promotoria-de-sao-paulo-pede-prisao.html

Conteúdo Relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »