Potencial para diversificação da matriz econômica de Chapecó está na Prestação de serviços em saúde

21 de maio de 2015 • 17h05Economia • 449 Visualizações • Nenhum comentário em Potencial para diversificação da matriz econômica de Chapecó está na Prestação de serviços em saúde

Otimista com o futuro do segmento de prestação de serviços em saúde, de Chapecó e satisfeito com as conquistas do setor até o momento, o presidente da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira, Severino Teixeira da Silva Filho, falou sobre a história do Hospital Regional do Oeste durante o Programa Almoço Empresarial realizado pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) no dia 21 de maio. “Acredito que a área de saúde é um potencial para a diversificação da matriz econômica de Chapecó. E mais. Chapecó tem condições de se tornar referência em várias especialidades médicas”, afirmou.

Com apenas 60 leitos, o HRO foi inaugurado em 1986. Segundo Teixeira Filho, com projeção para ser referência regional para cerca de 500 mil habitantes da região Oeste.  Desde a fundação, o hospital passou por três modalidades de gestão, até chegar ao modelo atual. De 1986 até 1990 foi administrado pela Beneficência Camiliana do Sul, entidade privada Filantrópica (com finalidade comercial); de agosto de 1990 até dezembro de 1997 foi administrado pela Sociedade Beneficente Lar da Fraternidade (entidade privada filantrópica de Chapecó); de dezembro de 1997 até 2003 foi administrado pelo Consórcio Regional de Saúde, composto somente por prefeituras da região, representada por seus prefeitos, embora constituído na forma privada nunca obteve reconhecimento como Entidade Filantrópica.

Em dezembro de 2005, passou por alteração estatutária, extinguindo-se o modelo de consórcio, passando a ser efetivamente gerido pela AHLVF. Teixeira Filho mencionou o fundamental apoio e participação da ACIC, em 2004, sob a gestão do então presidente Eloi Bergamaschi e do vice Gelson Dalla Costa, que contribuiu para que as mudanças ocorressem. Também foi nesta época que o HRO passou a utilizar um sistema de compras eletrônico, sendo o primeiro hospital de Santa Catarina a adotar um sistema desta natureza. Desde 2005 até dias atuais o HRO vem sendo administrado pela Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira. Entidade Civil, reconhecida de Utilidade Pública Municipal, Estadual Federal e de Fins Filantrópica pelo Ministério da Saúde. Atualmente, conta com 42 associados representantes das diversas entidades civis do Município de Chapecó.

Ao longo dos anos de funcionamento do HRO, foram implantados novos serviços em alta complexidade: Pronto Socorro/Urgência/Emergência 24 horas com dois médicos de plantão; UNACON (radioterapia e quimioterapia adulto); gestação de alto risco; Hospital Amigo da Criança; traumato-ortopedia; UTI geral tipo II (16 leitos, sendo dois leitos pediátricos); UTI neonatal (10 leitos); captação e transplante de órgãos e tecidos; banco de olhos; neurocirurgia; nutrição e dietética enteral-parenteral.

Sobre a evolução dos números do Hospital, Teixeira Filho destacou o aumento da população regional referenciada que, em 2005, era de 1,2 milhão de habitantes em 78 municípios; e passou para 1,5 milhão compreendendo 92 municípios. O número de leitos aumentou de 296 para 319, no mesmo período e a média de pacientes internados por dia subiu de 222 para 290. O corpo clínico contava com 146 médicos (56 contratados pelo Estado) e hoje são 226 (128 do Estado). Em 2005, eram feitas 1360 internações/mês e 6.027 atendimentos no pronto socorro/mês. Os números subiram para 1.711 e 7.147 respectivamente.

O palestrante apontou que, ao longo desses 10 anos, todas as sobras de recursos foram reinvestidas no próprio hospital, em adequações, melhorias, reformas ou aquisição de novos equipamentos. Ele citou parlamentares que contribuíram destinando emendas ao HRO. No geral, segundo Teixeira Filho, nesse período foram investidos cerca de R$ 17,9 milhões, dos quais R$ 15,8 milhões são de recursos próprios e R$ 2.155.000,00 de emendas parlamentares.

“A manutenção do estabelecimento exige, anualmente, em torno de R$ 89 milhões. Toda prestação de contas é apreciada e aprovada em assembleia geral da AHLVF, pelo Conselho Municipal de Saúde, pelo governo do Estado de SC, pelo Ministério de Assistência Social, Ministério da Justiça e Ministério da Saúde”, explicou. A prestação de contas está disponível no site www.hro.org.br.

 

Nova ala do HRO

O Hospital Regional do Oeste, em breve, contará com uma nova estrutura que vai ampliar os serviços de saúde e melhorar a qualidade de atendimento para toda região. A nova torre que está sendo construída anexa ao prédio existente tem 11.885 metros quadrados. São nove pavimentos (um para galeria técnica e um para heliponto). Serão 156 novos leitos (passando dos atuais 319 para 475 leitos), além de um novo centro cirúrgico, passando de sete para 16 salas cirúrgicas no complexo HRO. Serão 20 leitos para a UTI geral; 10 leitos para nova UTI pediátrica; sete leitos para o novo setor de tratamento de doenças coronarianas; mais 27 leitos para recuperação pós-cirúrgica, além de leitos para Oncologia  (adulta e pediátrica) longa duração; leitos para Quimioterapia curta duração. O serviço de hemodinâmica dará condições para procedimentos de alta complexidade em três especialidades: cardíaca, neurológica e vascular.

A obra iniciou em 2013 e deve ser entregue em dezembro de 2015 (com possível aditivo de prazo). Os investimentos na área física são na ordem de R$ 25 milhões (recursos do programa Pacto Por Santa Catarina do governo do Estado) e mais de R$ 8 milhões em equipamentos (via emendas parlamentares). O processo de compra de equipamentos está em fase de licitações.

O presidente da AHLVF citou os desafios a serem superados nos próximos anos no que diz respeito ao HRO. Entre eles, a implantação do serviço de braquiterapia (segundo semestre de 2015); ampliação do serviço de radioterapia. Novo acelerador linear com capacidade para duplicar o número de sessões (podendo chegar a 3.800 sessões mês); equipar a nova ala em construção; implantação, credenciamento e financiamento para custeio dos novos serviços em alta complexidade (hemodinâmica procedimentos cardíacos, neurológicos e vasculares); desenvolver ações com apoio de entidades civis junto a parlamentares visando destino de emendas individuais ou coletivas para investimento e custeio; sensibilizar representantes políticos para novas demandas; seleção, contratação e fonte de recursos para 350 novos profissionais; recursos para plantão e sobreaviso de médicos nas novas especialidades; manter e aprimorar os serviços com excelência e resolutividade; e sedimentar o complexo HRO na referência em saúde pública para alta complexidade no Oeste.

Severino Teixeira da Silva Filho, natural de Itaqui (RS), nasceu em 27 de janeiro de 1947. Colou grau superior em Farmácia Bioquímica em Porto Alegre pela Universidade Federal do Rio Grande Sul, é pós-graduado em Radiofármacos e Radiofarmácia também pela Federal da capital gaúcha. Estabeleceu-se em Chapecó em 1978, atuando profissionalmente no antigo Hospital Santo Antônio e Hospital Regional do Oeste desde sua fundação.

Além de atividades laborais, desempenhou relevantes serviços à comunidade como presidente da Associação de Pais e Professores do Colégio Bom Pastor, presidente do Country Club Chapecó, integrante por diversas gestões da diretoria do Clube Recreativo Chapecoense, presidente do Conselho Consultivo e, presidente do Conselho Deliberativo da ACIC. Atual conselheiro da Fundeste, também é membro do Conselho da Unochapecó.

Teixeira da Silva Filho integra, voluntariamente, atividades em diversas entidades filantrópicas e de cunho filosófico social, das quais se destaca a Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira. Desde 2005, é membro do corpo filantrópico daquela entidade, a qual administra os hospitais: Regional do Oeste; Nossa Senhora da Saúde em Coronel Freitas; e Hospital da Criança em Chapecó.

BRDE

O Programa Almoço Empresarial da ACIC conta com apoio do BRDE. O banco vem se consolidando como uma das principais fontes de financiamento da região Sul do Brasil com atuação em quase todos os setores econômicos, financiando empreendimentos de todos os portes.

(Fonte: MB Comunicação)

Conteúdo Relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »